Corinthians joga melhor na Arena, mas leva empate no fim do Flamengo

O Corinthians teve uma boa atuação na tarde deste domingo, na Arena, foi superior ao Flamengo, mas um gol marcado por Gabriel, já aos 44 minutos do segundo tempo, impediu que isso se transformasse em vitória. Dominante durante a maior parte do duelo, o Timão havia aberto o placar com Clayson, em pênalti sofrido por Vagner Love, e pouco sofreu até o rebote concedido por Cássio no pé do centroavante.

Com o resultado, o Timão perde a chance de encostar no grupo que se classifica para a Libertadores da América, ficando com 16 pontos conquistados na tabela de classificação. O Rubro-Negro, por sua vez, soma agora 21, também perdendo a chance de chegar mais perto do Palmeiras.

Na próxima rodada, os comandados de Fábio Carille terão pela frente o Fortaleza, no domingo, dia 28, às 19h (de Brasília), no Castelão. Antes, porém, fazem o primeiro jogo das oitavas de final da Copa Sul-Americana, contra o Montevideo Wanderers, quinta-feira, na Arena. Jorge Jesus e sua equipe, por outro lado, encaram o Emelec, na quarta, pelas oitavas de final da Libertadores, antes de enfrentar o Botafogo, no domingo, no Maracanã.

Começo quente, sequência disputada

O duelo começou com intensidade acima do normal na Arena. Mesmo visitante, o Flamengo adiantou suas linhas de marcação e, com menos de dois minutos, Diego já havia feito Cássio trabalhar em chute de longe. A resposta corintiana veio pouco depois, quando Pedrinho conseguiu achar espaço na entrada da área e bateu no canto direito, promovendo defesa segura de Diego Alves para os cariocas.

O jogo seguiu bem disputado, mas passou a ficar menos envolvente com as sequenciais quedas de jogadores pedindo atendimento. Manoel e Vitinho, cada um duas vezes, promoveram a entrada dos médicos em campo para checar seus estados físicos. O Corinthians chegou bem pela esquerda, em jornada participativa de Sornoza, mas a maioria dos lances veio em chutes de fora da área.

O melhor lance da partida veio em jogada ensaiada dos alvinegros, quando Sornoza cobrou escanteio na segunda trave e Pedrinho cabeceou forte para boa defesa de Diego Alves. O time da casa ainda tentou uma pressão, com bolas alçadas na área, uma tentativa de voleio de Sornoza e uma cabeçada rente ao travessão de Júnior Urso, mas o placar foi para o intervalo sem mudar os números.

Corinthians domina, mas leva gol no fim

Carille apostou na mesma formação para o segundo tempo e foi recompensado com a mesma intensidade do começo do jogo. Não demorou para que, em um grande lance individual dos seus melhores em campo, o gol saísse. Pedrinho pegou sobra na entrada da área na defesa e acionou rapidamente Fagner. O lateral foi muito bem, ganhou de Cuellar e deixou Vagner Love na cara do gol. O centroavante invadiu a área e foi derrubado por Berrío. Pênalti convertido por Clayson para abrir o placar.

O gol fez bem aos alvinegros, que superaram uma tentativa de empate rápido do Flamengo e passaram a ditar o ritmo do jogo. Jorge Jesus apostou na entrada de Bruno Henrique na vaga de Willian Arão, mas o maior espaço no meio-campo deu aos anfitriões a possibilidade de adiantar a marcação, evitando a saída rápida dos flamenguistas e ameaçando em boas chegadas de Pedrinho e Avelar.

Jesus, porém, tinha um trunfo no banco, colocando Lincoln na vaga de Gerson. O centroavante foi bem em pivô para furada de Bruno Henrique e depois ganhando escanteio em disputa com Fagner. Na cobrança, Willian Arão cabeceou, Cássio deu rebote e Gabriel empurrou para a rede. Depois de cinco minutos de análise no VAR, o juiz validou o lance e deu o empate para os flamenguistas.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 1 FLAMENGO

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 21 de julho de 2019, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Bernadi e José Calza (ambos do RS)
VAR: Daniel Bins (RS)
Público: 34.737 pagantes
Renda: R$ 2.223.284,60
Cartões amarelos: Clayson (Corinthians); Rodrigo Caio, Berrío, Diego, Rodinei (Flamengo)
Cartão vermelho: Berrío (Flamengo)
Gols:
CORINTHIANS: Clayson, de pênalti, aos 17 minutos do segundo tempo
FLAMENGO: Gabigol, aos 44 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel (Mateus Vital) e Júnior Urso; Pedrinho, Sornoza (Boselli) e Clayson (Everaldo); Vagner Love
Técnico: Fábio Carille

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuéllar (Bruno Henrique), Willian Arão, Diego e Gerson (Lincoln); Vitinho (Berrío) e Gabriel
Técnico: Jorge Jesus

O post Corinthians joga melhor na Arena, mas leva empate no fim do Flamengo apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.


Source: Flamengo

Eduardo Barroca quer tirar lições da derrota

O técnico Eduardo Barroca confessou que não esperava que o Botafogo fosse derrotado dentro de casa, neste domingo, para o Santos. Em entrevista coletiva, o técnico do Alvinegro de General Severiano disse que o grupo precisa tirar uma lição do resultado negativo e que vai tentar colocar em prática os ajustes necessários para melhorar a produção da equipe. Barroca disse que pretende rever o jogo com frieza e depois sentar com os jogadores para cobrar o que não andou bem durante a partida. o técnico disse ter confiança de que o Botafogo vai passar por cima dessas dificuldades e seguir adiante.

“O torcedor não precisa ter dúvidas. Se eu precisa tomar atitudes, vou tomá-las. Seja de forma de jogar, de cobrança, de escolhas. Eu sou o principal responsável”, afirmou.

Eduardo Barroca revelou ser o principal responsável pela derrota (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Barroca explicou que o Santos começou melhor e que depois o Botafogo conseguiu equilibrar o jogo, mas lamentou que o time não tivesse aproveitado os 20 minutos em que esteve com um jogador a mais em campo.

Para o treinador botafoguense, os jogadores estão trabalhando e se dedicando muito e que ele precisa encontrar uma forma de transformar esse esforço em vitórias. E disse que vai ter precisar ter clareza para não fazer cobranças equivocadas.

As vaias da torcida após o jogo foram justificadas por Eduardo Barroca. O técnico alvinegro disse que os torcedores esperavam uma vitória e ficaram frustrados com o resultado negativo. Barroca disse que o Botafogo precisa melhorar para alcançar uma pontuação adequada no Campeonato Brasileiro e ter sucesso na Copa Sul-Americana. Ele lembrou que a torcida apoiou durante o jogo inteiro e depois desabafou com justa razão.

“O torcedor do Botafogo apoiou o jogo todo, é muito importante falar. Vai no embalo do time. Precisamos ser a locomotiva desse trem, trabalhar duro, ter atitude e vencer. A responsabilidade de manter o torcedor do nosso lado é nossa”, enfatizou.

O treinador do Botafogo elogiou o estilo de Jorge Sampaoli e disse que tem muito respeito pelo trabalho e pela história do técnico santista, embora considere que ele tem uma forma diferente de trabalhar e alcançar bons resultados com suas equipes.

“Você olha o Santos jogar e vê um bom futebol. Tem predominância técnica. E a gente também, gosto de futebol assim. Respeito muito a história dele, o trabalho que vem fazendo”, revelou.

O post Eduardo Barroca quer tirar lições da derrota apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.


Source: Botafogo

Com golaço de Marinho, Santos vence Botafogo e encosta na liderança

Com um bonito gol marcado por Marinho, no segundo tempo, o Santos derrotou o Botafogo por 1 a 0 em partida disputada na manhã deste domingo, no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. O resultado fez a equipe de Vila Belmiro chegar aos 26 pontos e se igualar ao Palmeiras na liderança do Campeonato Brasileiro. O Verdão leva vantagem na classificação por ter marcado um número maior de gols. O Botafogo caiu para a sétima posição com 16 pontos e ainda pode ser superado por outras equipes no final da rodada.

A vitória fez justiça ao desempenho do Peixe, que foi superior ao adversário durante a maior parte do jogo e até poderia ter alcançado um resultado mais expressivo, mas encontrou o goleiro Gatito Fernández em partida inspirada. Mesmo atuando durante 20 minutos com um jogador a menos por causa da expulsão de Lucas Veríssimo, a equipe dirigida por Jorge Sampaoli nunca perdeu o controle da partida. O Botafogo foi um time sem inspiração que quase não incomodou o goleiro santista. O time carioca deixou o campo vaiado por sua inconformada torcida.

Na próxima rodada, o Botafogo vai enfrentar o Flamengo, no Maracanã. O Santos, por sua vez, recebe o Avaí na Vila Belmiro.

Santos venceu o Botafogo por 1 a 0 com gol de Marinho (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O JOGO

Logo no primeiro minuto, a torcida do Botafogo levou um susto. O goleiro Gatito Fernández tentou um lançamento pelo alto e Sasha cortou de cabeça e a bola passou perto do gol da equipe carioca. A partida começou em ritmo lento com os dois times trocando muitos passes no meio campo antes de arriscar qualquer ação ofensiva.

O primeiro momento de perigo na partida aconteceu aos sete minutos quando Soteldo foi lançado na corrida e chutou forte. A bola bateu em Joel Carli e sobrou para Uribe que concluiu para boa defesa de Gatito Fernández. Um minuto depois, o Peixe voltou a atacar com Sanches que cruzou da direita e a zaga aliviou quando Soteldo aparecia para tentar aproveitar.

O Botafogo encontrava muita dificuldade para produzir jogadas ofensivas por causa da lentidão dos integrantes do meio campo. Enquanto isso, o time dirigido por Sampaoli tentava imprimir velocidade nas jogadas de ataque para surpreender a zaga carioca.

O Botafogo chutou a gol pela primeira vez aos 13 minutos, em jogada individual do lateral-direito Marcinho que derivou para o meio com a bola dominada e arriscou, mas não levou perigo para Everson.

Com 20 minutos de partidas, dois zagueiros do Santos – Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo – já tinham sido advertidos com o cartão amarelo.

Aos 25 minutos, Soteldo se livrou de Marcinho e cruzou. Carli cabeceou para o alto e Gatito, ao sair para cortar, acabou se atrapalhando com o zagueiro argentino.

O Botafogo passou a equilibrar as ações e criou seu primeiro momento de perigo aos 27 minutos quando Alex Santana chutou forte e Everson se esticou para desviar para escanteio, evitando o gol do Alvinegro de General Severiano. Aos 33, Erik enfiou na área para a penetração de João Paulo, mas Aguilar chegou primeiro e aliviou o perigo.

O Peixe só voltou a aparecer na área carioca aos 36 minutos quando Jorge se livrou do marcador e cruzou para Sasha, mas o atacante concluiu de forma bisonha e desperdiçou a chance. Logo depois foi a vez de Soteldo aparecer para completar passe de Sanchez, mas o chute saiu fraco.

Aos 44 minutos, na última oportunidade criada no primeiro tempo, Sacha cruzou da direita e Uribe desviou de cabeça, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

O segundo tempo não começou bem para o Santos. Logo aos quatro minutos, o zagueiro Lucas Veríssimo entrou forte no lateral-esquerdo Gilson, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. Para recompor a defesa, Sampaoli colocou o lateral Victor Ferraz no lugar de Jean Mota.

Em vantagem numérica, o Botafogo passou a atacar com mais intensidade. Aos oito minutos, Marcinho se livrou de Jorge e cruzou para a entrada de Erik, mas o desvio do atacante foi para fora.

Para tentar rearmar a equipe, Sampaoli gastou sua terceira substituição, trocando o atacante Eduardo Sasha pelo lateral-esquerdo Felipe Jonathan, adiantando Jorge para o meio campo. Enquanto isso, Eduardo Barroca tentou colocar o Botafogo mais agressivo e trocou o meia Alex Santana pelo atacante Victor Rangel. Diego Souza passou a atuar um pouco mais recuado.

Mesmo com um jogador a menos, o Santos manteve o espírito ofensivo e aos 16 minutos, após passe de Sanchez, Soteldo apareceu entre os zagueiros, mas chutou para fora.

Aos 25 minutos, o lateral-esquerdo Gilson também foi expulso e deixou os dois times em igualdade de condições. O lateral botafoguense foi advertido com o segundo cartão amarelo por cometer falta sobre Marinho que tentava arrancar para o ataque. Para completar o sistema defensivo, o lateral-esquerdo Jonathan entrou no lugar de Diego Souza.

Aos 26 minutos, Marinho bateu falta no canto esquerdo e Gatito Fernández fez boa defesa. E aos 30 minutos, o Peixe marcou o primeiro gol. Marinho recebeu na direita, se deslocou para o meio e acertou uma bomba no ângulo direito, sem qualquer chance para Gatito Fernández.

Cinco minutos depois, o baixinho Soteldo quase ampliou em grande jogada individual. O venezuelano driblou Gabriel, se livrou de João Paulo e mesmo agarrado pela camisa, chutou para grande defesa de Gatito que desviou com a ponta dos dedos.

O Botafogo respondeu com cabeçada perigosa de Rodrigo Pimpão, após cruzamento de Marcinho, mas a bola saiu.
Gatito Fernández, o melhor do Botafogo, voltou a brilhar, ao sair nos pés de Pituca que recebeu assistência perfeita de Soteldo e se preparava para concluir.

O Botafogo, sem outra alternativa, se lançou ao ataque nos minutos finais e permitiu que o Santos perdesse outra grande oportunidade aos 45 minutos. Felipe Jonathan foi lançado na corrida e livre, diante de Gatito Fernández, mandou a bola para fora.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 0 X 1 SANTOS

Data: 21 de julho de 2019 (domingo)
Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Daiane Caroline Muniz dos Santos (MS)
VAR: Caio Max Augusto Vieira (RN)

GOL: Marinho (Santos), aos 29 minutos do 2T

Cartões amarelos: Lucas Veríssimo (Santos), Gustavo Henrique (Santos), Gilson (Botafogo), Joel Carli (Botafogo), Gilson (Botafogo), Marinho (Santos)

Cartão vermelho: Lucas Veríssimo (Santos), Gilson (Botafogo)

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Gilson; Alex Santana (Victor Rangel), João Paulo, Cícero; Diego Souza (Jonathan), Erik e Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão)
Técnico: Eduardo Barroca

SANTOS: Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Gustavo Henrique; Jorge, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota (Victor Ferraz); Eduardo Sasha (Felipe Jonatan), Soteldo e Uribe (Marinho)
Técnico: Jorge Sampaoli

O post Com golaço de Marinho, Santos vence Botafogo e encosta na liderança apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.


Source: Botafogo

Filipe Luís não confirma acerto com o Flamengo em despedida na Espanha

Apesar dos fortes rumores e da iminência de um anúncio oficial, tanto Filipe Luís quanto o próprio Flamengo mantém muita cautela no que diz respeito a um acerto entre as partes. Neste domingo, em sua despedida do Atlético de Madrid, o lateral-esquerdo admitiu conversas avançadas com o Rubro-Negro, mas evitou cravar sua mudança para o Rio de Janeiro.

“Ainda não assinei o contrato. Temos conversas avançadas, mas ainda não assinei com ninguém. Nos próximos dias tomarei a decisão. Hoje é um dia para agradecer, um dia de despedida, e de deixar as portas abertas. Nos próximos dias falarei sobre o futuro”, disse Filipe Luís, que foi novamente questionado sobre o interesse do Rubro-Negro em outro momento.

Filipe Luís concedeu entrevista coletiva em sua despedida do Atlético de Madrid (Foto: Reprodução)

“Realmente negociamos, temos conversas, mas não está nada assinado. Quando um clube como o Flamengo liga, tem que escutar”, completou o lateral-esquerdo, que adota o mesma cautela que a diretoria do Flamengo, evitando dar maiores detalhes sobre um suposto vínculo até 2021.

O evento de despedida do lateral após oito temporadas vestindo as cores do Atlético de Madrid também foi marcada por homenagens. Das mãos do capitão Koke, o lateral recebeu uma placa, além de posar para fotos com nomes como Morata, o goleiro Oblak, o técnico Diego Simeone e o presidente e proprietário do clube espanhol. A família do brasileiro também esteve presente.

“A decisão (de deixar o Atlético de Madrid após oito temporadas) foi tomada com muita calma. Sempre me coloquei à disposição do clube. Repassamos estes oito anos e decidimos que era o momento de separar os caminhos. Isso foi o que aconteceu”, explicou Filipe Luís.

O post Filipe Luís não confirma acerto com o Flamengo em despedida na Espanha apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.


Source: Flamengo

Corinthians e Flamengo marca duelo de estilos no Campeonato Brasileiro

Fábio Carille e Jorge Jesus não tem muito em comum. Campeão brasileiro e 2017 e tricampeão paulista, o primeiro é mais jovem comanda um Corinthians pragmático, notabilizado mais pela defesa consistente, que pela capacidade de balançar as redes. Já o português, com mais experiência e rodagem, preza por características ofensivas, montando times rápidos e agressivos.

Comandando Corinthians e Flamengo, os treinadores se enfrentam neste domingo, às 16h (horário de Brasília) em clássico nacional válido pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, em São Paulo.

(Fotos: Fernando Dantas/Gazeta Press e Alexandre Vidal/CRF)

O Corinthians de Carille, que ainda busca uma formação ideal, vem tendo mais sucesso atrás do que na frente. A equipe alvinegra sofreu apenas cinco gols em dez rodadas, a segunda melhor marcar atrás do líder Palmeiras, porém marcou apenas oito vezes, a pior marca entre os times fora da zona de rebaixamento.

Jogando com dois volantes, um meio-campista, dois pontas e um centro-avante, o Timão é o terceiro time que menos finaliza no Brasileiro. Contando apenas os tiros em direção ao gol, a equipe paulista tem média pouco superior a três chutes por jogo.

Já o Flamengo deverá ter escalação ofensiva, porém uma versão alternativa e mais cautelosa que a utilizada na estreia de Jesus no Brasileirão, em goleada de 6 a 1 contra o Goiás no último domingo, quando o português escalou a equipe com apenas um volante (Arão), três meias (Arrascaeta, Diego e Éverton Ribeiro) e dois atacantes (Bruno Henrique e Gabigol).

A equipe deve ter mais um volante para o jogo de domingo para o lugar Arrascaeta, que saiu lesionado no duelo da última quarta-feira pela Copa do Brasil. No ataque, Bruno Henrique, também lesionado, dá lugar ao jovem Lincon. Também há a possibilidade de titulares serem poupados visando o duelo da próxima quinta-feira, contra o Emelec, no Equador, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores.

Mesmo com um meia a menos, o Rubro-Negro deve manter sua disposição ofensiva. Nos três jogos com Jesus no comando, a equipe carioca teve médias de 53,7% de posse de bola, 13 finalizações e 370 passes certos por partida. Em comparação, neste Campeonato Brasileiro, o time de Carille tem médias de 51% de posse de bola, 9,8 finalizações e 329 passes certos por jogo.

O post Corinthians e Flamengo marca duelo de estilos no Campeonato Brasileiro apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.


Source: Flamengo